Seguir por Email

quarta-feira, 14 de dezembro de 2011

Judaísmo - Nao gosto de briga, mas tambem nao fujo!




“Que falta de respeito e reconhecimento!”
Foi o que eu pensei hoje, ao ter a passagem negada por uma mulher, ao dirigir minha viatura enquanto vinha para o quartel, porem, logo me veio um segundo pensamento, desta vez mais positivo e otimista: Pelo menos ela não tem medo de nós policiais e nos vê como iguais! Melhor assim, do que se nos desse passagem por medo!
Esta foi uma das varias surpreendentes e sensíveis colocações que ouvi em minha agradável conversa com o Major Wanderlei Barbosa Filho, comandante da P.M., e com o capitão P.M. Rogério, os quais fizeram questão de me receber após ouvir a situação absurda pela qual minha esposa e eu passamos anteontem nas mãos de um policial, logo após termos sido discriminados por uma mulher, devido a nossa origem judaica.
Preocupado, em esclarecer que a reação equivocada do policial não fazia parte da conduta habitual da policia, o Major disse:
 “Meu amigo, eu quero lhe explicar algumas coisas a respeito de como funciona nosso trabalho, porque muitas pessoas nos julgam sem conhecer nossa realidade...”
Após as explicações o Major admitiu:
“...Eu mesmo não sabia nada a respeito de sua comunidade, confundia judeu com israelense, até que conheci o Ilan Ben Avram, chefe da segurança da Federação Israelita de São Paulo, que me explicou a diferença e o significado de cada termo. Hoje tenho muito respeito e admiração por sua comunidade!”
Após ouvir as explicações de meu novo amigo, reiterei o valor que dou ao trabalho da polícia e afirmei não ter julgado toda a corporação pela infeliz atuação de um indivíduo isolado.
Destaquei varias situações nas quais fui ajudado por policiais, entre elas uma das mais emocionantes de minha vida, quando depois de se perder na saída de um jogo do Santos no ano passado, meu filho foi trazido para nossa casa, são e salvo por um policial, muito solícito e simpático.
Amenidades à parte, estou certo que depois desta conversa, graças a intervenção de meu amigo Ilan da Federação, certamente o policial que nos destratou não ficará impune. Não que eu queira simples vingança ou algo do tipo, o que quero é o fim do preconceito e da discriminação. Não somente do anti-semitismo, mas de todo tipo de preconceito, pois somente desta forma poderemos almejar a tão sonhada paz.
O major Barbosa e o Capitão P.M. Rogerio se despediram de mim falando que apesar de o ensejo ter sido desagradável, ao menos tínhamos algo grandioso para comemorar: O início de uma nova amizade.
Quando eu estava quase saindo de sua sala, ao observar as estantes, “por acaso”, me deparei com um objeto daqueles que... Nos mostram que estamos no caminho certo:
Um pequeno quadro numa prateleira lateral contendo a tradicional Benção para o Trabalho, escrita em português e Hebraico!
Fiz questão de tirar uma foto da placa junto ao Major Barbosa, agradecendo a Deus pelo sinal e pedindo a Ele que aquelas bênçãos escritas na madeira se concretizassem em sua vida e em sua importante missão!
































Para Compreender o que causou este encontro, leia o texto do link a seguirhttp://moreventura.blogspot.com/2011/12/hoje-me-aconteceu-algo-inacreditavel-ao.html

12 comentários:

rafael dayan disse...

Muito boa.. Vale a pena ler.

Anônimo disse...

Grande Ilan! Excelente trabalho! Ventura continue com o amor dedicação! Fernando Rosenthal

Eduardo Piza disse...

Nossa, mas que judeu porreta hein. Gostei de ver. Parabéns Ventura.

Anônimo disse...

nao intendi pq vc foi para a delegacia ... onde foi discriminado..

Domingos Emiliano .'. disse...

Vá em frente More!
Desejo muita força para ti, o mundo precisa muito de você. Continue plantando tuas sementes,
um dia irão desabrochar.

Aliza Cortellazzi disse...

Moré querido, vc é um exemplo pra nós!!!Um reforço para a nossa vontade de ser Gente de verdade!!!Esta é uma missão,e o mais importante é que cada um de nós possamos descobrir a nossa missaõ, mesma que seja pequenininha, escondidinha , no anonimato desta vida, mas que faz a diferença, trazendo pra este mundo um sorriso de paz!!!!!BJs bjs Aliza

Anônimo disse...

Não consigo entender ...Sou judia e nunca sofri tal coisa e tb os judeus próximos a mim.Mas tenho lido costantemente isso aqui na internet...Tu és ashk ou sefa...

ilan disse...

Só para complementar as informações o Maj. PM Barbosa é Comandante interino do 13º Batalhão da PM que atende o Bras/Bom Retiro/Santa Cecilia e na foto tambem esta o Cap. PM Rogério comandante da 2ª Cia do 13º BPM/M responsável pela região de Sta. Cecilia. Parabéns pelo excelente trabalho moré e continue sempre nos inspirando. Abs Ilan

More Ventura disse...

Querido anonimo, (pena q n escreveu o nome), Eu tambem nao costumo sofrer este tipo de agressão. Na verdade em geral o que acontece é o contrário. Mas durante minha vida fui, sim abordado de forma desrespeitosa algumas vezes devido a minha religiao.
Em relação ao seu comentario, onde diz nunca ter sofrido nenhum tipo de ofensa, te faço uma pergunta: Você é identificavel como judeu/judia quando anda na rua? Eu por exemplo, uso quipa e assim faz com que seja identificado como judeu.
Ventura = sefaradi.
Abraços!

jacque disse...

MOre fica aqui meu convite,para a policia militar ,civil,deic,etc..vir em nossa casa alguns shabatot..quem sabe assim conversando e vivenciando um dia tão importante como shabat, possamos informar mais as coorporações!bjs;)

Anônimo disse...

Gostei muito da sua atitude: justa, esclarecedora e sem "neura". Parabéns! A propósito, a sua Jacque é demais! Dê meus parabéns também a ela! Abraços para os dois,
Marilia Freidenson

Anônimo disse...

more parabens te acho um judeu muito sabio,tenho aprendido muito com vc,realmente não são todos os policias que agem assim,e a corporação e composta por muitas pessoas que tem carater diferentes.enfim a paz e boa e traz tranquilidade a alma.um abraço