Seguir por Email

quarta-feira, 23 de novembro de 2011

Judaísmo - Shabat Shalom 3! Bom Apetite Amigo!



-Boa noite José! Como vai? Eu vou bem obrigado. Passa em casa depois pra pegar aquele bolo. Um abraço, até mais!
Venha amigo, por aqui. Hoje não usamos a campainha: Hoje batemos na porta. Já já te explico os costumes do Shabat e os seus motivos, ta bom?
-Oi querida! Shabat Shalom!
-Sim foi ótimo! Sabe quem estava na sinagoga? O Aron, o Jacquito e o Dudú. Talvez eles dêem um pulo aqui mais tarde. Vai ser divertido!
-Hum... que cheiro delicioso! Daqui a pouco não vai sobrar nem.... Ah ah! Acertou! Já esta aprendendo, amigo! Nem cheiro!
-Agora vamos para a mesa. Tá bom crianças, vocês podem se sentar ao lado do nosso convidado. E você senta aqui do lado da Mamãe.
Agora vamos cantar o Shalom Aleichem que significa “Que a Paz esteja sobre vocês”. Nesta canção saudamos os anjos do Eterno que nos acompanharam desde a sinagoga até aqui. É uma tradição muito antiga.
Pega aqui o sidur, está na página 274:


Agora cantamos o Eshet Chail, que significa Mulher virtuosa. É uma homenagem que fazemos às nossas esposas e mães por todo o cuidado que elas tem com o lar, (alem da jornada dupla, é claro!), e especialmente pela linda mesa e pelas refeições do Shabat que temos aqui. Este texto foi composto pelo rei Salomão e está no livro dos provérbios, no capítulo trinta e um.
O interessante desta poesia é que ela tem vinte e duas frases, cada uma delas começando com uma letra do alfabeto hebraico, indo da primeira até a última letra:
Agora vamos ficar de pé e vamos fazer o kidush. Nele proclamamos a santidade do Shabat.
O primeiro trecho do Kidush fala sobre o término da obra do universo no sexto dia da criação e sobre a santificação do sétimo dia.
No segundo trecho agradecemos ao Bondoso D’us por ter nos dado este tão maravilhoso presente, que dá sentido e orientação às nossas vidas: O dia do Shabat!

Agora terminamos o kidush e vamos....
Comer? Não! Ainda não. Agora nós vamos fazer o Netilat Yadaim, que é a lavagem ritual das mãos.
O significado desta lavagem é o seguinte:
Nossa mesa é considerada um altar, nossa refeição é considerada uma oferenda e nós, sacerdotes do Altíssimo. Por isso, nada mais correto do que lavarmos nossas mãos e nos prepararmos para servir ao Criador.
Filho, por favor ensina o nosso amigo como se faz o Netilat Yadaim. Isso! traz a toalha pra ele secar as mãos. Não meu filho, pega a outra, essa toalha é de banho! Tsc, tsc, essas crianças...
Depois do Netilat Yadaim ficamos em silêncio até fazermos a benção da Chalá, o pão trançado do Shabat:
-Baruch Atá... Bendito És Tu, Rei do universo que fazes sair pão da terra!
-Amen!
Aqui está: o primeiro pedaço vai para a esposa, o segundo para o amigo e agora... as crianças. Beteavon! Bom apetite!
-Hum... Que Chalá deliciosa! Aonde você comprou?
-É a chalá do Matok é sempre ótima mesmo!
-Amigo, nós costumamos ter dois pães na mesa do Shabat para lembrar-nos da porção dupla de Mana que caia nas sextas feiras no deserto, quando do êxodo do nosso povo do Egito rumo a Israel. Cada dia da semana caia apenas uma porção, suficiente para as refeições daquele dia. Na sexta feira caiam duas porções, para que no Shabat os nossos antepassados não tivessem o trabalho de procurar e transportar seu alimento.
-Agora você pode se servir a vontade, sinta se em casa.
Antes do prato quente a gente costuma comer peixe acompanhado de Chalá, saladas e patês. Nossa mesa é bem diversificada: Temos Tahine, Humus, Guefilte fish e outras iguarias.
-O guefilte Fish é este bolinho de peixe. A origem dele é muito interessante: Existe um costume de se comer peixe no Shabat, mas houve épocas em que muitos judeus não tinham dinheiro para comprá-lo. Então como eles faziam? Pegavam um pouquinho de caldo de peixe e misturavam com miolo de pão. Assim se formaram os primeiros guefilte fish, que com o passar do tempo ganharam mais sabor e sofisticação.
-Que maravilhoso este Guefilte-fish! Você que fez?
-Delicioso, não é?
-Este patê se chama Hilbê, conhecemos em Jerusalem na casa de um casal de senhores Iranianos. Iamos jantar com eles quase todos os Shabatot. Nos recebiam como filhos, se chamam Mazal e Daniel. Era incrível a hospitalidade dos dois. Pessoas simples, com um coração enorme.
-Hum... Que delicia!
-O que você quer filhinha?
-Claro, daqui a pouco a gente canta!  Qual música você vai querer cantar?
-Beleza, daqui a pouquinho, ta bom?
-Fofa! As crianças adoram uma música!
-Filho, passa a Chalá, por favor. Amigo, você aceita um copo de vinho?
-Não, este está sem gelo, se quiser gelado eu tenho também, mas o vinho gelado é seco, você gosta?


-Crianças, qual é o nome da Parasha?
-Muito bem: Toldot!
-E qual o nome dos filhos gêmeos de Itschak  e Rivka?
-Ceeeerta a resposta!!! Essav e Iaakov.
-Desculpem, só um pouquinho, crianças:
-Amigo, vou te explicar o que é Parasha.
-O ano é dividido em cinqüenta e duas semanas. Cada semana a gente lê uma Parashá, ou seja, uma parte da Torah. Depois de um ano completamos a leitura da Tora inteira.
-A parasha desta semana fala sobre a história dos irmãos Essav e Iaacov, o caçador e o pastor, filhos de Isaac e Rebeca, que disputaram a benção do filho primogênito, necessária para se obter a liderança do clã após o falecimento do pai.
-Ah, sim! Falei os nomes em hebraico. Itzchak é Isaac, Yaacov é Jacob e Essav é Esaú.
-Filhos, agora eu vou fazer uma pergunta para vocês pensarem:
-Por quê depois de Itzchak ter descoberto ter sido enganado por Yaacov, ele não considerou a benção “roubada” por este como anulada e a passou para o primogênito Essav? Vão pensando e depois vocês respondem, ta bom?
-Oba!!! Agora chegou a comida quente. Abobrinhas, berinjelas e pimentões recheados. Com um pouquinho de tahina, hum.... fica uma delicia!
-Abobrinha? Aqui está! Vai mais vinho ou suco? Beleza! Dá o seu copo.
-Querida, a comida está maravilhosa, Parabéns!
-Sim, você tem razão. Dizemos que a comida vai de acordo com as visitas! Então se a comida está boa é por sua “culpa” amigo!
-Bom apetite! Hum...
-Quem quer cantar?
-Vamos cantar uma música linda que se chama Shiru Lamelech, Cantem para o rei:
-Gostou da musica?-Claro! Se eu achar no Youtube eu te mando.
-Não, hoje eu não posso mandar, mando amanhã, porque... Xiii, eu me esqueci de te explicar sobre a eletricidade no Shabat... Então preste atenção amigo:
-Está escrito que D’us criou o mundo em seis dias e que no sétimo dia Ele se absteve de criar, abençoando e santificando este dia.
Para nos lembrarmos disso de corpo e alma, a Torah nos orienta a não trabalharmos, não criarmos e não interferirmos na natureza neste dia. Por isso devemos evitar criar qualquer objeto ou elemento, mesmo através de corrente elétrica.
-Realmente isso é interessante, porem se abster de criar é apenas o inicio de um caminho que deve nos levar ao paraíso mental e emocional da conexão com nossa essência espiritual, com o Divino. Isso fazemos através da oração, do estudo, das canções, da reflexão e da expressão da amizade e amor ao próximo.
Agora vamos falar de amor ao próximo.... Prato!
-Quem quer sobremesa???
-Hum... acho que hoje tem pudim de berinjela...
-Êêêê! Sorveteeeee da tia Monica e da tia Carla! É o melhor do mundooo!
-Vamos fazer a brachá, a benção de agradecimento pelo alimento:
-Baruch Atá Ado-nai Elo-heinu Melech Haolam Shehakol Nihia Bidvarô. Traduzindooo: Bendito é Tu nosso D’us que criou tudo através de seu verbo.
-Sim amigo, cada vez que comemos ou bebemos alguma coisa, agradecemos ao Criador.
-Delicioso o sorvete! Quem quer mais?
-Espera aí que eu vou colocar a cobertura.
-Agora que já comemos, bebemos e conversamos, vamos fazer o Birkat Hamazon, a oração de agradecimento pela refeição. Normalmente fazemos esta reza em hebraico, mas hoje, já que temos uma ilustre amiga cantora em nossa mesa, vamos pedir para ela cantar o Birkat Hamazon em Ladino, o idioma que os judeus falavam na Espanha, que é parecido com o português para você poder compreender o que falamos:
-Amen!
-Epa... estava quase me esquecendo da pergunta que eu fiz sobre a Parasha? você quer responder?
-Hã?
-Porque você não responde?
-Estou falando com você que está lendo. Afinal você é a nossa visita!
-Estamos adorando ter você conosco!
-Se quiser tentar uma resposta, “fale” para nós no espaço para comentários abaixo.
-Um grande abraço e muito obrigado pela visita!
  Shabat Shalom e volte sempre!

4 comentários:

Ricardo Hochberg disse...

Apesar de Essav cumprir kibud av va em.. Itzchak sabia que Yaacov geraria as 12 tribos.
O texto trouxe de maneira didática a genuína seudá de shabat.

simone samya disse...

Muito bom More!!! Aprendi muita coisa hoje...

Anônimo disse...

Impecavel, pedagógico e poético ... este texto e outros mais darão uma bem vinda publicação.
Você é um danado, Moré!
Abraço saudoso,
Clovis R. S. Filho

ZULINA GIORDANI disse...

Shalom,gostei muito das coisas que escreveu,nossa...maravilhoso!Eu tbem quando estava no Brasil ia em uma sinagoga,muito belo,o Senhor era presente,nao tenho palavras pra expressar como vcs sao queridos ao S
enhor.eu amo tds vcs em tds as partes do mundo!Shalom!Zulina