Seguir por Email

quinta-feira, 8 de março de 2012

Dia internacional das mulheres - Uma data judaica?


Dia internacional da mulher. Oito de março ou Catorze de Adar?

Eu nunca concordei em ver o judaísmo ou a história do povo judeu como algo destacado do contexto geral.
Também acho um equívoco olhar os últimos 2000 anos de nossa história, pré estado de Israel, somente como uma trama de perseguições e sobrevivências, como muitos insistem em fazer.
Por isso gosto de datas como esta, do dia da mulher, que ao mesmo tempo em que é universal, também trás consigo uma parcela de história judaica.

Mas o que esta data tem a ver com a nossa história?

O motivo da fixação da data é controverso – disputa de americanos e Soviéticos - Mas uma coisa é indiscutível:
Muitíssimas judias, (e judeus), participaram de fatos decisivos que influenciaram na luta pelos direitos das mulheres e dos trabalhadores no início do século passado, e foram alguns “rounds” desta luta, de acordo com a versão americana, que levaram a criação desta data comemorativa do dia das mulheres
.
Mais especificamente falando, o fato que serviu como marco para a escolha desta data foi um incêndio numa fábrica onde morreram várias mulheres, compostas em sua maioria por jovens operarias imigrantes judias.  
Para se ter uma idéia da influência dos judeus nesta história de greves e sindicatos, o juramento bradado em voz alta pelos operários e operárias americanos de que não quebrariam a greve, que aconteceu no mesmo período do trágico incêndio, foi a celebre frase do salmo que diz: “Im eshkachech Yerushalaim Tishkach Yemini”. “Se me esquecer de Jerusalem, que eu me esqueça de minha destra...”
Outro fato interessante é que um dos grupos responsáveis por uma das maiores greves da época se chamava liga dos operários hebreus.
No final das contas, estas greves e este episódio do incêndio na fábrica acabaram por fazer com que os sindicatos e os direitos das mulheres em particular e dos operários, em geral, fossem reconhecidos em terras Norte Americanas e isto é o que atesta uma placa comemorativa que repousa em uma das paredes da universidade de Nova Yorque, local onde funcionava a antiga fábrica.
 
Não há duvidas de que todas estas lutas não foram em vão, mas infelizmente ainda há muito mais a se conquistar para que as mulheres ocupem o lugar que merecem na sociedade da qual fazem parte e que como ninguém, ajudaram e continuam ajudando a criar!.
Mulheres de todo o mundo! Uní-vos e antes que eu me esqueça...Mazal Tov! 
More Ventura! Judaísmo é Atitude!

4 comentários:

Anônimo disse...

Muito bom More, só que não consegui encontrar a ligação das judias com a "CRIAÇÃO DA DATA" que reprensenta o dia da mulher. Abraço.

Anônimo disse...

Purim sameach, chaver ,como sempre aprendendo muito em seu blog,sem palvras que o Hashem te abençoe,tenho sim um palavra toda rabah por seus ensinamentos.hadassa camelo

More Ventura disse...

Certo amigo. Vou explicar:
As greves, em grande parte arquitetadas por sindicatos judaicos e principalmente o incêndio que teve como a maioria de suas vítimas operarias judias, serviu de inspiração para a instituição da data comemorativa do dia das mulheres.
Abração!

Martha Alaíde disse...

Moreh Ventura é cultura. Obrigada pelos cumprimentos pelo dia de hoje. Purim Sameach. Shalom !