Seguir por Email

domingo, 20 de novembro de 2011

Bar ou Mitzvah ?



Eu lhe contarei um causo ouça bem cabra da peste
Que se deu em Pernambuco entre a caatinga e o agreste

Tem vivido entre nós desde a colonização
uns cabra macho que se diz descendente de pai Abrão
E que fugindo duma tal de dona Inquisição
Vieram do mar de recife aos pedregulhos do sertão

O sujeito deste causo se chama seu Jacobino
Que mais sua mulher Sara tem somente um menino
Descarnado feito a seca astuto como artista
De precoce iniciou na carreira de repentista

Os três moravam numa choça de madeira e palinha
Cercada de bode magro e um punhado de galinha
Só comiam carne seca e nem morto sarapatel
E no lugar de pai nosso diziam shma israel

Certo dia dona Sara voltou fatigada da roça
e tomou um grande susto ao adentrar em sua choça
Deu de cara com seu homem e outro de nome Rabino
que falavam sobre um bar com seu galego pequenino

Meu galego é de menor disse a moça arretada
Se alguém lhe levar pro bar eu vou é repartir pancada
E é melhor cê cair fora vai de jegue ou de jangada
Seu rabino antes que eu deixe sua barba bem ralada

Rabino picou a mula mas noutro dia voltou
E a pedido de Jacobino o rapagote levou
Pra cidade de recife lá na rua dos judeus
Direto pra sinagoga onde rezavam para D'us

 Ao voltar de seu labor dona Sara constatou
Com painho Jacobino que o rabino levou
Seu pequeno filhotinho pra recife para o bar
E saindo pela rua ela pos se a trovejar

Delegado me acude, traz de volta meu menino
Que ta pra ser encachaçado por um tal de seu Rabino
Com a ajuda deste jegue chamado de Jacobino
Foi levado para o bar, pobrezinho do menino

Dona Sara me desvende onde fica este bar
Vilarejo rua nome, me revele o lugar
Que la ligeirinho irei para com isto acabar
E o rabino atrás das grades toda vida vai ficar

 Delegado o lugar onde fica o bar eu não sei
Somente o nefasto nome deste lugar eu direi
É um nome bem difícil de poder pronunciar
É um nome esquisito, parece que é Bar... mitzvah !

O xerife explodiu, de tanto rir caiu no chão
Causo hilário como este há muito não vejo não
Dona Sarah esqueceu, sua própria tradição
Confundindo com um bar sua primeira comunhão

7 comentários:

gledson disse...

More ventura parabens por tudo que faz pela causa anussim.

Anônimo disse...

Aiiiiiii to rindo arretado e muicho, eu ja sabia q no nordeste há muitos descendentes esquecidos !!! tá muito bom seus ensinamentos,.shaná tova.

Anônimo disse...

Moré você é o mestre!!!!Parabéns!!

rosana k disse...

Puxa, vc é muito bom nisso, gostei!

Nina disse...

Engraçadíssimo...lindo! Shalom!

JURA DOVICO disse...

Muito bom mesmo Moore, mas foi vc mesmo??? kkkk

Anônimos e Excluídos disse...

Super criativo, sem perder em nenhum momento o sentido da mensagem, entretém o leitor do início ao fim. Uma forma bem humorada de contar a nossa história!Parabéns!